quinta-feira, 6 de março de 2008

Aniversário


Os pequenos são assim. Até festejam os dias e os meses.
Nasci para este espaço há um mês.

Foi a 6 de Fevereiro de 2008 que icei a âncora e comecei a navegar por este mar da vida, por este pantanal de ideias, por esta vadia janela aberta para o nosso mundo.
Aqui sinto-me bem. E faço-me acompanhar por quem tem ideias primas ou irmãs.
O Gui aproximou-se da magnólia há duas semanas e temos, os dois, tratado a flor com todo o esmero, sem falarmos um com o outro (porque há distância, muita distância entre nós)...
Sinto-me muito feliz porque por este mês de vida temos conseguido unir um sagrado grupo 11 que nos embalou a pequena adultez, muitas luas atrás.
Faltam duas personagens para conseguirmos o pleno (olá Lisboa, olá Leiria).
A seu tempo...

Por ora, deixo este hino à magnólia, este mar com dois rochedos (por enquanto) que vão assistindo ao cruzar das águas felizes dos outros, que vão soletrando alegrias e desamores, angústias e pequenos ódios, suores e vermelhas veias...
Não quero que o sol se ponha atrás de nós.
Quero molhar os pés na seiva do meu pensamento, dando largas (e palco) à minha imaginação (a tal "louca da casa") e gargalhando, rindo, sorrindo ou chorando, conforme as estações.
Contigo, Gui.
Comigo, César.
Convosco que sei que me vão lendo todos os dias.
E, sobretudo, para ti, C.

Venham mais meses.
Venha mais gente tentar colher esta magnólia.
Mas, por favor, não a levem, tá?

15 comentários:

Anónimo disse...

A D. disse
Obrigado magnólia já não passo sem te ver, sem te ler e sem a amizade novamente partilhada.
O meu tempo é escasso mas logo que possa hei-de mandar-te fotografias de muitas tuas irmãs para animar este jardim.

Anónimo disse...

Alô "fada sininho", já somos dois a desejar a tua presença.
Vem, trás as tuas leves asas e o teu pesado fardo e instala-te na magnólia desnuda.
Apreciamos-te como há vinte anos atrás.
D.

Anónimo disse...

Chama-se a bela "Dulcineia".
Dama sonhadora com Dom Quixote de luzente armadura e cavalo garboso.
Larga por momentos esse teu sonho e vem lembrar os Sanchos Pança que engordaste no tempo do "Sérgio" ( como lhe chamava com a sua simplicidade a vizinha, Dona Lina).
Da D.

Anónimo disse...

Quase sem poisar nesta magnólia, não pude deixar de sobrevoar o jardim.
Obrigada por este reencontro!
César, Gui, D., a lembrança de que são "vinte anos" - que estranhamente não parecem tempo nenhum - fez-me ter saudades vossas...

josé e. disse...

Uma grande magnólia.
E muitos parebéns.
Tem sido um revigorar da vista e da palavra.
Continuem, que assim se vê a pena que fazia falta.

pena suave disse...

E abraço dos...

Guilherme Salem disse...

Meus Deus "Dulcineia", "Fada Sininho" e demais...quantas memórias, quantos momentos enaltecedores e arrebatadores, quanta cump+licidade, quanta ansiedade e angustioa partilhada e alegria...quanta humanidade...e quanta saudade. Um beijo a Vós...(o tal 11)...

Anónimo disse...

Há espaço no 11 para um "outsider"?

Guilherme Salem disse...

Que responder ao anónimo das 19.02h de 11-03-2008 ? Digam-me amigos e companheiros. Louvo a pergunta e a vontade demonstrada.Obrigado. Mas, eu, sou apenas um no 11.

Guilherme Salem disse...

Não é da 19.02 h, erro meu, mas sim das 1.36...desculpe anónimo pela troca...foi sem intenção.

César Paulo Salema disse...

O 11 é uma sociedade secreta datada, encriptada, não maçónica, não Opus-Dei, uma espécie de CLUBE DOS POETAS MORTOS.Acha que tem perfil?

Anónimo disse...

Sem falsas modéstias e ponderada a referência, TODO O PERFIL!
CARPE DIEM...

Anónimo disse...

Sem falsas modéstias e ponderada a referência, TODO O PERFIL!
CARPE DIEM...

Anónimo disse...

Também posso entrar?
Gosto de cá vir todas as manhãs.
Obrigado.
VT

Anónimo disse...

Eu que também só sou outro do "11" penso que as incrições nunca foram feitas. aconteceram, e fecharam definitivamente a 15 de Julho de 1988.
Mas há sempre lugar para o "os amigos do 11".
Não, ó restantes 11?
da D.