sábado, 31 de janeiro de 2009

Coimbra, em tempos idos...

video

Uma raridade...

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Beleza!

Um eclipse solar parcial sobre a baía de Manila nas Filipinas.
A 26.01.2009, ocorreu o primeiro eclipse solar que foi visto de algumas partes de África, Austrália e Ásia.

Lavoisier


Na Natureza nada se perde - tudo (mesmo) se transforma...

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Paragem no verde.


Ele estava ali, verde, redondo, alinhado, brilhante, com a sua convencional função. E os outros dois mortiços.
A vida trazia-me o pensamento nas nuvens e o instinto irreflectido mandou-me parar. Parei.
Só dei pelo erro quando o que me seguia apitou e eu me convenci que a buzina tinha o meu endereço.
Filosofei... mas que mal há em parar no "verde"?
... escapuli-me.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Yes, WE Can


Versão portuguesa do lema de Obama:





"YES, WEEK END"

domingo, 25 de janeiro de 2009

Voo pelo espaço

«A encosta é enorme, mas eu vou devagar com os pés bem firmes nos travões. Lá em baixo, a nossa casa é apenas um pontinho vermelho. Sei que o meu pai está à minha espera no fundo da rampa, escarrapachado na bicicleta. Sei que está a sorrir.
Assim que ganho velocidade, agarro-me com força ao volante e endireito-me como o meu pai me tinha ensinado. Gradual e calmamente, começo a soltar as mãos. Rapidamente estou a descer a encosta com os braços levantados para o céu e as mãos do vento a segurarem-me.
- Olha, Papá, olha!
Eu e a minha linda bicicleta somos uma só. Tenho oito anos. Sou a rainha do vento, montadas nas costas de uma pantera, rodas a chiar, pedras pelo ar, engolindo a estrada de seda preta.
Mas agora vou tão depressa que os meus pés não conseguem encontrar os travões. Agarro o volante, mas a pantera salta debaixo de mim, rugindo nos meus ouvidos. A roda vai para aqui, a roda vai para ali e estou a ir directamente contra o meu pai.
Os braços do papá abrem-se como asas. Não consigo falar, não consigo gritar, não consigo parar, cada vez mais depressa, cada vez mais perto. É então que voo pelo espaço, por cima do volante. Vou morrer. A minha cabeça choca com a dele com um estrondo horrível, o meu pé enrolou-se nas mudanças.
- Estás bem? - grita ele. - Estás bem?
Abro os olhos. A nossa casa alta e vermelha está de pernas para o ar por cima de mim. Levanto a cabeça e vejo a cara dele. o sangue cobre-lhe os dentes e corre pelo queixo abaixo. Meu querido e bonito Papá, o que foi que eu fiz?
Estamos todos embrulhados, o meu pai e eu: braços, raios de roda, pernas, correntes. Dói-me o corpo todo. Mas consigo sentir a respiração dele, para dentro e para fora, para dentro e para fora, suave como um murmúrio de uma borboleta. Estamos vivos. E aqui está esta paz, esta felicidade terna enquanto estou tranquila em cima do seu peito, por baixo da roda que continua a girar.»


Prólogo da obra, "A Guerra Secreta Do Meu Pai"
de Lucinda Franks

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Um segredo bem guardado



Uma das melhores cantatas do ano findo em português.
Foi um segredo demasiado fechado.
E guardado...

Um amigo chamado OSCAR


Ei-los (tal como, na língua de Shakespeare, foram anunciados)


Performance by an actor in a leading role
Richard Jenkins in “The Visitor” (Overture Films)
Frank Langella in “Frost/Nixon” (Universal)
Sean Penn in “Milk” (Focus Features)
Brad Pitt in “The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.)
Mickey Rourke in “The Wrestler” (Fox Searchlight)


Performance by an actor in a supporting role
Josh Brolin in “Milk” (Focus Features)
Robert Downey Jr. in “Tropic Thunder” (DreamWorks, Distributed by DreamWorks/Paramount)
Philip Seymour Hoffman in “Doubt” (Miramax)
Heath Ledger in “The Dark Knight” (Warner Bros.)
Michael Shannon in “Revolutionary Road” (DreamWorks, Distributed by Paramount Vantage)


Performance by an actress in a leading role
Anne Hathaway in “Rachel Getting Married” (Sony Pictures Classics)
Angelina Jolie in “Changeling” (Universal)
Melissa Leo in “Frozen River” (Sony Pictures Classics)
Meryl Streep in “Doubt” (Miramax)
Kate Winslet in “The Reader” (The Weinstein Company)


Performance by an actress in a supporting role
Amy Adams in “Doubt” (Miramax)
Penélope Cruz in “Vicky Cristina Barcelona” (The Weinstein Company)
Viola Davis in “Doubt” (Miramax)
Taraji P. Henson in “The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.)
Marisa Tomei in “The Wrestler” (Fox Searchlight)


Best animated feature film of the year
“Bolt” (Walt Disney), Chris Williams and Byron Howard
“Kung Fu Panda” (DreamWorks Animation, Distributed by Paramount), John Stevenson and Mark Osborne
“WALL-E” (Walt Disney), Andrew Stanton


Achievement in art direction
“Changeling” (Universal), Art Direction: James J. Murakami, Set Decoration: Gary Fettis
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Art Direction: Donald Graham Burt, Set Decoration: Victor J. Zolfo
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Art Direction: Nathan Crowley, Set Decoration: Peter Lando
“The Duchess” (Paramount Vantage, Pathé and BBC Films), Art Direction: Michael Carlin, Set Decoration: Rebecca Alleway
“Revolutionary Road” (DreamWorks, Distributed by Paramount Vantage), Art Direction: Kristi Zea, Set Decoration: Debra Schutt


Achievement in cinematography
“Changeling” (Universal), Tom Stern
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Claudio Miranda
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Wally Pfister
“The Reader” (The Weinstein Company), Chris Menges and Roger Deakins
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Anthony Dod Mantle


Achievement in costume design
“Australia” (20th Century Fox), Catherine Martin
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Jacqueline West
“The Duchess” (Paramount Vantage, Pathé and BBC Films), Michael O’Connor
“Milk” (Focus Features), Danny Glicker
“Revolutionary Road” (DreamWorks, Distributed by Paramount Vantage), Albert Wolsky


Achievement in directing
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), David Fincher
“Frost/Nixon” (Universal), Ron Howard
“Milk” (Focus Features), Gus Van Sant
“The Reader” (The Weinstein Company), Stephen Daldry
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Danny Boyle


Best documentary feature
“The Betrayal (Nerakhoon)” (Cinema Guild), A Pandinlao Films Production, Ellen Kuras and Thavisouk Phrasavath
“Encounters at the End of the World” (THINKFilm and Image Entertainment), A Creative Differences Production, Werner Herzog and Henry Kaiser
“The Garden” A Black Valley Films Production, Scott Hamilton Kennedy
“Man on Wire” (Magnolia Pictures), A Wall to Wall Production, James Marsh and Simon Chinn
“Trouble the Water” (Zeitgeist Films), An Elsewhere Films Production, Tia Lessin and Carl Deal


Best documentary short subject
“The Conscience of Nhem En” A Farallon Films Production, Steven Okazaki
“The Final Inch” A Vermilion Films Production, Irene Taylor Brodsky and Tom Grant
“Smile Pinki” A Principe Production, Megan Mylan
“The Witness - From the Balcony of Room 306” A Rock Paper Scissors Production, Adam Pertofsky and Margaret Hyde


Achievement in film editing
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Kirk Baxter and Angus Wall
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Lee Smith
“Frost/Nixon” (Universal), Mike Hill and Dan Hanley
“Milk” (Focus Features), Elliot Graham
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Chris Dickens


Best foreign language film of the year
“The Baader Meinhof Complex” A Constantin Film Production, Germany
“The Class” (Sony Pictures Classics), A Haut et Court Production, France
“Departures” (Regent Releasing), A Departures Film Partners Production, Japan
“Revanche” (Janus Films), A Prisma Film/Fernseh Production, Austria
“Waltz with Bashir” (Sony Pictures Classics), A Bridgit Folman Film Gang Production, Israel


Achievement in makeup
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Greg Cannom
“The Dark Knight” (Warner Bros.), John Caglione, Jr. and Conor O’Sullivan
“Hellboy II: The Golden Army” (Universal), Mike Elizalde and Thom Floutz


Achievement in music written for motion pictures (Original score)
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Alexandre Desplat
“Defiance” (Paramount Vantage), James Newton Howard
“Milk” (Focus Features), Danny Elfman
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), A.R. Rahman
“WALL-E” (Walt Disney), Thomas Newman


Achievement in music written for motion pictures (Original song)
“Down to Earth” from “WALL-E” (Walt Disney), Music by Peter Gabriel and Thomas Newman, Lyric by Peter Gabriel
“Jai Ho” from “Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Music by A.R. Rahman, Lyric by Gulzar
“O Saya” from “Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Music and Lyric by A.R. Rahman and Maya Arulpragasam


Best motion picture of the year
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), A Kennedy/Marshall Production, Kathleen Kennedy, Frank Marshall and Ceán Chaffin, Producers
“Frost/Nixon” (Universal), A Universal Pictures, Imagine Entertainment and Working Title Production, Brian Grazer, Ron Howard and Eric Fellner, Producers
“Milk” (Focus Features), A Groundswell and Jinks/Cohen Company Production, Dan Jinks and Bruce Cohen, Producers
“The Reader” (The Weinstein Company), A Mirage Enterprises and Neunte Babelsberg Film GmbH Production, Nominees to be determined
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), A Celador Films Production, Christian Colson, Producer



Best animated short film
“La Maison en Petits Cubes” A Robot Communications Production, Kunio Kato
“Lavatory - Lovestory” A Melnitsa Animation Studio and CTB Film Company Production, Konstantin Bronzit
“Oktapodi” (Talantis Films), A Gobelins, L’école de l’image Production, Emud Mokhberi and Thierry Marchand
“Presto” (Walt Disney), A Pixar Animation Studios Production, Doug Sweetland
“This Way Up” A Nexus Production, Alan Smith and Adam Foulkes


Best live action short film
“Auf der Strecke (On the Line)” (Hamburg Shortfilmagency), An Academy of Media Arts Cologne Production, Reto Caffi
“Manon on the Asphalt” (La Luna Productions), A La Luna Production, Elizabeth Marre and Olivier Pont
“New Boy” (Network Ireland Television), A Zanzibar Films Production, Steph Green and Tamara Anghie
“The Pig” An M & M Production, Tivi Magnusson and Dorte Høgh
“Spielzeugland (Toyland)” A Mephisto Film Production, Jochen Alexander Freydank


Achievement in sound editing
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Richard King
“Iron Man” (Paramount and Marvel Entertainment), Frank Eulner and Christopher Boyes
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Tom Sayers
“WALL-E” (Walt Disney), Ben Burtt and Matthew Wood
“Wanted” (Universal), Wylie Stateman


Achievement in sound mixing
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), David Parker, Michael Semanick, Ren Klyce and Mark Weingarten
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Lora Hirschberg, Gary Rizzo and Ed Novick
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Ian Tapp, Richard Pryke and Resul Pookutty
“WALL-E” (Walt Disney), Tom Myers, Michael Semanick and Ben Burtt
“Wanted” (Universal), Chris Jenkins, Frank A. Montaño and Petr Forejt


Achievement in visual effects
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Eric Barba, Steve Preeg, Burt Dalton and Craig Barron
“The Dark Knight” (Warner Bros.), Nick Davis, Chris Corbould, Tim Webber and Paul Franklin
“Iron Man” (Paramount and Marvel Entertainment), John Nelson, Ben Snow, Dan Sudick and Shane Mahan


Adapted screenplay
“The Curious Case of Benjamin Button” (Paramount and Warner Bros.), Screenplay by Eric Roth, Screen story by Eric Roth and Robin Swicord
“Doubt” (Miramax), Written by John Patrick Shanley
“Frost/Nixon” (Universal), Screenplay by Peter Morgan
“The Reader” (The Weinstein Company), Screenplay by David Hare
“Slumdog Millionaire” (Fox Searchlight), Screenplay by Simon Beaufoy


Original screenplay
“Frozen River” (Sony Pictures Classics), Written by Courtney Hunt
“Happy-Go-Lucky” (Miramax), Written by Mike Leigh
“In Bruges” (Focus Features), Written by Martin McDonagh
“Milk” (Focus Features), Written by Dustin Lance Black
“WALL-E” (Walt Disney), Screenplay by Andrew Stanton, Jim Reardon, Original story by Andrew Stanton, Pete Docter

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

21.1.1986

Nesta data, há 23 anos, eu a a C. cruzámos destinos.
A via é longa, cheia de escolhos, mas, lá longe, perto do absurdo do tempo infiel, haverá uma petita de ouro guardada pelo que hoje penamos, em nome de amores maiores e raízes perfeitas de nós...
Eu sei.
Por isso, fica aqui este estandarte de esperança.
Para ti.
Para mim.
Por nós...

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

João A (esta vida de marinheiro)


A vida é, de facto, muito injusta, e muito curta.E tanto inútil por aí...algo horrivel para dizer, eu sei.
Sinto imenso a morte do João Aguardela...alguém por quem nutria uma grande admiração e carinho. Desejo acreditar que nos veremos novamente, algures, quando eu for para onde ele já está.
Uma homenagem emocionada.
Reproduzo uma foto e um texto que tirei da net.


João Aguardela com Sandra Baptista no tempo dos Sitiados, o grupo que lhe proporcionou o maior sucesso20 Janeiro 2009 - 00h30

Óbito: João Aguardela faria 40 anos em Fevereiro
Morreu artífice da música popular
João Aguardela, que em 1992 com os Sitiados pôs Portugal a cantar "esta vida de marinheiro está a dar cabo de mim/rapara para parapa raparaparê’’, morreu no domingo à noite, em Lisboa, vítima de cancro. Tinha 39 anos (faria 40 em Fevereiro) e a sua morte deixa mais pobre a música portuguesa.


Orgulhoso da tradição musical portuguesa, João Aguardela foi um visionário, um artífice da música popular portuguesa. Como matéria-prima elegeu as raízes profundas, que depois casava com sonoridades contemporâneas. Em 1994, tal ousadia valeu-lhe o Prémio Revelação atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores.

Além dos Sitiados, com quem lançou cinco discos desde a fundação em 1987 até 2000, a Aguardela se devem ainda vários outros projectos que tiveram a virtude de rejuvenescer a música portuguesa. Foram os casos de Megafone (recolhas etnográficas de Giacometti e José Alberto Sardinha com electrónica), Linha da Frente (cantando autores como Manuel Alegre, Ary dos Santos, Fernando Pessoa e Natália Correia, entre outros) e, mais recentemente, A Naifa, que conjuga o fado clássico com linguagens pop. Com este projecto lançou três discos, o último dos quais, ‘Uma Inocente Inclinação para o Mal’, data do ano passado. Exemplo da sua versatilidade (e disponibilidade), Aguardela fez ainda a banda sonora do documentário ‘Labirinto do Atum’.

O músico não quis velório e a cerimónia fúnebre realiza-se hoje (16h00) no cemitério do Alto de S. João, Lisboa.

Irmandade


Sou homem: duro pouco
e é enorme a noite.
Mas olho para cima:
as estrelas escrevem.
Sem entender compreendo:
Também sou escritura
e neste mesmo instante
alguém me soletra.

Octavio Paz



Procura-se um Amigo (em sol maior)



Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração.
Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir.
Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa.
Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.
Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.
Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados.
Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar.
Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa.
Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo.
Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.
Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer. Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância.
Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.
Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo.
Precisa-se de um amigo para se parar de chorar.
Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.


Vinicius


À C., nossa Amiga, nosso eterno porto de abrigo, pelo seu Natal e pelas magnólias que já nos deu, em tom e coração...

Da C. e do P.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Dar versos como a cerejeira


Acordar ser na manhã de abril
a brancura desta cerejeira;
arder das folhas à raíz,
dar versos ou florir desta maneira.

Abrir os braços, acolher os ramos
o vento, a luz, ou o que quer que seja;
sentir o tempo, fibra a fibra,
a tecer o coração de uma cereja

Eugénio de Andrade «As Mãos e os Frutos», 1948.

Nem vazio...nem solidão 2



Porque nunca cabem todas numa só mensagem.

Nem vazio...nem solidão






Apenas porque gostei das fotos.
Voilá.

sábado, 17 de janeiro de 2009

E se o relógio andasse para trás?





O tempo fascina-nos. Demais.
A sua passagem férrea certa, irredutível, incapaz de soluços e intermitências.
Mas podemos mudar os ponteiros do relógio. Enganá-los?
Aqui reside a gota de "pré-determinação", o toque "desumano", mesmo maquinal, que podemos considerar como o pormenor mais "fincheriano" no filme «O Estranho caso de Benjamin Button»: ele - com nome de botão, com nome de visionário -, nascendo velho e morrendo novo, tem o tempo "fechado", o tempo contado, sem a indefinição do tempo do homem comum (porque, por assim dizer, não há um limite para o avanço temporal mas há um limite preciso para o recuo temporal).
Com uma Blanchett soberba como sempre, um Pitt no seu melhor (e que bom recordar o par mítico de "Babel"), foi este o filme que mais me fascinou no último ano (ouçam a banda sonora de Desplat).
Mesmo.
Tanto como o próprio tempo.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

A grande Luz e a pequena (Maria da) Luz


A luz da mágoa da noite
soltou amarras nos interstícios da feira cabisbaixa,
a que O'Neill cantou,
a que a pequena Luz visitou, só, amarrotada pelos pingos de néon que tombavam
sobre a sua pequena cabeça cheia de precoces caracóis...
De uma noite fez-se, então, um dia,
o outro lado da Luz que não se via.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Fenómeno atmosférico

Pilares de luz inabituais sobre Sigulda, Latvia

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

E mais estas que não couberam na anterior



E, ora bem...cá vamos indo.
Nós e o mundo.
Viva o CR7 (penso que é assim que se chama o fenomeno insular, a quem Alberto João tão bons conselhos deu - olha rapaz que elas não gostam das tuas pernas mas do teu dinheiro- se não tivesse ouvido na tv não acreditava)...embora não discorde, mas Valha-nos Deus...ao que se chegou.)
Mas isto é apenas para colocar as fotos que não couberam no post anterior...por isso...screw all the rest...............
Even Him...the best.

Ora bem..olhar para onde? ver o quê ?






Morte, ladra de amantes, não me leves
O ombro em que de insónias repousava.
Nesse abrigo o amor com dedos leves
Fazia a concha com que me agasalhava.

O doce amigo que os remorsos breves
De minhas culpas, mais abreviava.
Isenta, ó morte, do mais poder que atreves
Em amores que nos dão a estrela d´alva.

De meus caprichos, ficções e fantasia
O firme tronco, a tua foice fria
Que tem no tempo a crua lei, não corte.

Da fútil fama o custo já conheço.
A anónima glória apenas peço.
De roubar com meu pranto o amigo à morte.

De Natália Correia (em homenagem a Alfredo Machado, na sua morte)

The Queen Kate


No post de 31.12 previ que este seria o ano de Kate Winslet.

Globos, foram já dois (actriz secundária em "The Reader" e actriz principal em "Revolutionary Road" do marido Sam Mendes)

Venha o Senhor OSCAR.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Um projecto nos dias que correm...


DISNEY e coisas sérias...

video

O essencial é o que não está à vista, mesmo!

sábado, 10 de janeiro de 2009

O Zelador do Tesouro e o Caminho...




Balada da Neve II








Balada da Neve









Batem leve, levemente,
como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.
É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...
Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento com certeza.
Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
– Há quanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!
Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Augusto Gil, excerto da Balada da Neve