domingo, 11 de maio de 2008

Nós, florestas


Porque há sempre uma árvore em cada um de nós,

Um tronco dificil de vergar e de cortar,

Uma sombra reconfortante que proporcionamos a alguém,

Uma raíz, uma semente, um galho, uma folha, uma flor.

10 comentários:

César Paulo Salema disse...

E há seiva que nasce dentro de cada um de nós e que teima em sair vadia para encontrar outras flores...
E outro verde...

Armando S. Sousa disse...

Se forem um conjunto de árvores dispersas, nunca serão uma floresta!
Costuma-se traduzir, a união faz a força.

Anónimo disse...

Está bonita e profunda esta "poética".
Cá por mim, acho que estou naquela fase de querer sombras reconfortantes, folhas macias e flores; deixei de ter equilíbrio bastante para os galhos..

Bj.
C(EN)

Guilherme Salem disse...

Olha C. estás como eu estou. Venham as sombras reconfortantes e as folhas macias. Equilibrios em galhos ? também é filme que já não vejo. Aliás, nesta altura, haja conforto e macieza naquilo que nos rodeia.

Anónimo disse...

Simplesmente... lindo!

Eu

Passiflora Maré disse...

Gostei do tronco difícil de vergar.
O corte já é diferente não depende de nós, mas das "Moiras ou Parcas"..

R. disse...

Hoje sinto-me folha... mole e amarela... a cair...

Anónimo disse...

E quando os que nos rodeiam precisam de que para eles sejamos troncos seguros, sombras certas e acolhedoras (às vezes as únicas que procuram)?
É aí que quem AMA se supera e, sentindo-se embora folha frágil, insegura, que a brisa quer abanar como se fosse vendaval, se torna árvore forte, raíz consistente, sombra abrangente e acolhedora.
Mais uma vez, o Amor...
F.S.

Passiflora Maré disse...

Sim F.S. sei do que falas.
O povo chama a isso "fazer das tripas coração".
BJs

Guilherme Salem disse...

F.S. gostei tanto do teu comentário. Mesmo a folha mais frágil pode tornar-se num tronco forte e resistente. Bjo