quarta-feira, 23 de julho de 2008

Férias




Teus dedos, marinheiros experientes
fazem-me partir
Teus olhos, duas velas que o vento do amor
faz bulir.

5 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Marinheiro que assim parte
Não faz longo viajar
que os olhos que o despedem
O hão-de fazer voltar.

César, desculpa a quadra de pé quebrado, mas também que outra coisa posso fazer se o pé ainda está "quebrado"? Vai com Deus, volta com ele, Poesia na Vida, Saúde no corpo. Ab. Avó Pirueta

Anónimo disse...

Porque as féria se aproximam, quero deixar-vos, a vós Magnólios, uma mensagem especial que, no fundo, retrata esta nossa vida, os encontros e desencontros... Não é da minha autoria, mas adoptei-a como se o fosse.

A árvore dos amigos

Existem pessoas nas nossas vidas que nos fazem felizes pela simples casualidade de se terem cruzado no nosso caminho.
Algumas percorrem o caminho ao nosso lado, vendo muitas luas passar,mas outras apenas vemos entre um passo e outro.
A todas, chamamos amigos, e há muitas classes deles.
Talvez cada folha de uma árvore represente um dos nossos amigos.
Os primeiros que nascem são o nosso amigo Pai e a nossa amiga Mãe,que nos mostram o que é a vida.
Depois, vêm os amigos irmãos
com quem dividimos o nosso espaço, para que possam florescer como nós.
Passamos, então, a conhecer toda a família de folhas
a quem respeitamos e a quem desejamos o bem.
Mas, o destino apresenta-nos a outros amigos, os quais não sabíamos que se iriam cruzar no nosso caminho.
A muitos deles chamamos-lhes amigos da alma, do coração… são sinceros e verdadeiros…
Sabem quando estamos bem… sabem quando o que nos faz felizes…
E, às vezes, um desses nossos amigos da alma estala o nosso coração e,então, chamamos-lhe um amigo namorado.
Esse, dá brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios e saltos aos nossos pés.
Mas também há aqueles amigos de passagem,talvez de umas férias ou uns dias ou umas horas.
Eles colocam-nos sorrisos nos lábios durante o tempo em que estamos com eles.
Falando do assunto, não poderemos esquecer os amigos distantes,
aqueles que estão na ponta das ramas e que quando o vento sopra,
sempre aparecem, entre uma folha e outra.
O tempo passa… o Verão vai-se… o Outono aproxima-se… e perdemos algumas das nossas folhas…
Algumas nascem noutro Verão e outras permanecem por muitas estações.
Mas, o que nos deixa mais felizes, é que as folhas que caíram continuam junto de nós,
alimentando a nossa raiz com alegria.
São recordações de momentos maravilhosos de quando se cruzaram no nosso caminho.
Desejo-te, folha da minha árvore, paz, amor, sorte e prosperidade.
Hoje e sempre…simplesmente porque cada pessoa que passa na nossa vida é única…
Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.
Haverá os que levam muito, mas não haverá os que não nos deixam nada.
Esta é a maior responsabilidade da nossa vida e a prova evidente de que duas almas não se encontram por casualidade».

Boas Férias Amigos Magnólios.
EU

Armando S. Sousa disse...

Muito boas férias, para todos os Magnólios e respectivas famílias.
Um abraço a todos, e no caso da Passiflora, uma grande beijola.

Guilherme Salem disse...

Um obrigado especial para "EU"...boas férias...
Boas férias Armando e não se esqueça de voltar aqui após as ditas..um abraço forte.
Boas férias a todos...beijos e abraços..
Gui

Anónimo disse...

Ansiadas, certamente, que te sejam com a mesma intensidade prazenteiras.

Bj.
C(EN)