quarta-feira, 16 de julho de 2008

Intermezzo.


Hoje não posso ver ninguém:
sofro pela humanidade.
Não é por ti.
Nem por ti.
Nem por ti.
Nem por ninguém.
É por alguém.
Alguém que não é ninguém
mas que é toda a humanidade.

António Gedeão.
Obras completas
(1956-1967)

7 comentários:

CLAP!CLAP!CLAP! disse...

Parece-me que está com deficit de poesia? com tanta coisa boa para fazer? Enumero?....e caso possa veja a nova faceta depois da paragem da camioneta da Avenida Nevsky.

CLAP!CLAP!CLAP! disse...

ai que eu ja fiz asneirada!! Postei algo para aqui..e não esta aqui??? aiiiiii!!!
So para dizer q já mandei dizer a Ela que me mande as instruções do mosaico, senão,vou proceder judicialmente,ou arranjar um outro modo de responder ao solicitado!!!

Maria do Carmo Cruz disse...

Passiflora, como vejo que é entendida nestas coisas, diga-me como lhe posso enviar uma fotografia do maracujá florido que me fez uma companhia alegre e multifacetada durante as três semanas em que estive que ficar sentada a ver a vida passar. Pode ser? E, com as instruções que deu à Anabela, hei-de tentar fazer o mosaico. Um abraço da Avó Pirueta

PS. Não acha que o Clap tem uns olhos maravilhosos?

Passiflora Maré disse...

Avó pirueta eu já vi esse belo Maracujá no seu blogue e não sabe como o invejei para o meu jardim. Enfim....
TEm de colar a foto num mail e eviá-la para o meu mail. A dificuldade é dar-lhe o meu mail.
Vou pensar em como fazer-lhe chegar o meu mail sem toda a blogosfera ficar a saber.
Uma vez que eu não sou a adminstradora deste blogue.
O Clap é um bom rapaz "armado" em diabito.

Passiflora Maré disse...

Avó pirueta eu já vi esse belo Maracujá no seu blogue e não sabe como o invejei para o meu jardim. Enfim....
TEm de colar a foto num mail e eviá-la para o meu mail. A dificuldade é dar-lhe o meu mail.
Vou pensar em como fazer-lhe chegar o meu mail sem toda a blogosfera ficar a saber.
Uma vez que eu não sou a adminstradora deste blogue.
O Clap é um bom rapaz "armado" em diabito.

Elsa C. disse...

Adequa-se, na perfeição, o neologismo de Mia Couto. E passarei a citá-lo: "Existe, afinal, outra incurável doença: a síndroma da humanodeficiência adquirida."
in Estórias Abensonhadas

Passiflora Maré disse...

É verdade Elsa, não para todos, mas para alguns o Síndroma existe.