quarta-feira, 9 de julho de 2008

Seara.


Vi nos teus olhos uma semente.

Perguntei onde a guardaste.

Disseste-me que eras o vento que acaricia a seara.

Eu disse-te que era o sol que a torna dourada.


Trocamos de olhos.

Enrolamos as mãos.


Esgueiramo-nos em silêncio.

Quando só os espantalhos guardavam a seara.

Semeamos nela plumas vermelhas e ondas de lava salgada.

A seara ondulou voluptuosa, entornando o aroma grávido do trigo.

5 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Mas que beleza! Gostei das palavras e da fotografia.
Bjs

julioletras disse...

Não esquecendo as palavras, a fotografia é lindíssima.

Passiflora Maré disse...

Obrigada a ambos.

Anónimo disse...

Muito bonito este "instante" erótico" (confesso que foi o erótico que logo se me assomou aos sentidos quando li).

Bj.
C(EN)

Dianne Nogueira ♥ disse...

Desculpem-me passar tanto tempo a observar vosso Blog e nunca ter deixado aqui meus comentários sobre tão rica experiência. Sou uma jovem brasileira e passo algumas madrugadas colhendo as magnólias plantadas aqui! Agradeço por tudo... cada imagem, cada palavra!