quinta-feira, 23 de outubro de 2008

À minha Granny Emily Lucy



Já chegando o entardecer,
Eis que grata surpresa.
Uma vida pequenina
Pedaços de um viver.
Parece que foi tirado o molde
De um velho retrato.

Contornos iguais,
Diferenças sutis.
Da infância, volta a festa,
Folguedos, felicidade!
Se finita é a existência,
Não importa.
De agora será medida,
Por sorrisos e abraços,
Palavras a balbuciar.

Instantes furtados àqueles que um dia,
Já distante, foram nossos.

Se pais agora, não liguem.
Deixem que este afeto,
Por tempo adormecido, renasça
Em sentimento maior.

Assim somos nós: os avós

(autor brasileiro)

Em seu dia de Natal, à minha querida granny, por (também) me ter ensinado a nadar e a tocar sonatas de Bach no seu velho piano...

4 comentários:

Meu Mundo Flash disse...

Olá!

Você é de que país? Engraçado como um idioma nos deixa dúvida! Parabéns pelo blog, você escreve muito bem!

Ah, eu sou do Brasil!

Beijos, Nicole
www.meumundoflash.com/?ref=22
(visite meu site também!!! Ele é de jogos, é novo e eu preciso de opiniões!!! OBRIGADAAA!!!!)

César Paulo Salema disse...

Sou português e a visitarei, cara Nicole.

Guilherme Salem disse...

Um beijo a todas as avós....ás minhas enviados lá para os Céus. Graças a Deus tive muito tempo para as conhecer e conviver (morreram, depois dos 89, uma em 2000 e outra em 2001). Fazem-me falta, mas a natureza e a lei da vida não para. Haja cada vez mais espaço para as avós e para os avôs.
Parabéns à homenagaeada e para todos. Gui.

R. disse...

As avós são muitas vezes quem nos mostra o que mais ninguém vê que precisamos tanto de encontrar!