terça-feira, 29 de setembro de 2009

SE é para vir que venha


Vou soltar meu gado
vou deitar no pasto
vou roubar a cena
vou sorrir sem pena

Sem puxar as rédeas
sem seguir as regras
sem pesar ou ânsia
sem errar na dança
se é pra vir, que venha.

Tudo é colorido
mesmo o preto e o branco
quando eu pinto é lindo
e o meu traço e franco
Seja recta ou curva
seja esfera ou linha
vida é sempre certa
e eu não temo a minha.

Se é pra vir que venha
seja preto ou branco
Eu não temo a vida
nem seu contraponto

8 comentários:

Eu disse...

Que SAUDADES!!!

Eu

R. disse...

Oh Eu... que saudades digo eu!!!
Beijinhos...
P.S. Até escrevi um post no outro dia a dizer que a Eu e a C. me faziam falta e vocês "nem aí para mim" :)

César,
o poema é lindo! Entretanto, fui informada de uma certa conversa de comboio. E fiquei toda derretida de me dizerem que só falaste bem :)
Beijo

César Paulo Salema disse...

Só poderia dizer bem, doce amiga. O cavalheiro PD também é um gentleman e ainda "primo" ...

Guilherme Salem disse...

Adorei o post...
E fiquei prenhe de audades de contacto com ustedes...
Um Abraço e Beijo Grandes. Gui

Eu disse...

Querida R., muito obrigada!!
Passei por lá, gostei da lembrança.
Voltei ao ponto correspondente à minha última visita (ainda que não documentada)e daí vi tudo até hoje! Sempre igual a ti própia, sempre especial!
Eu prometo, vou passando por lá!

Beijinhos,

Eu

Eu disse...

Querida R., muito obrigada!!
Passei por lá, gostei da lembrança.
Voltei ao ponto correspondente à minha última visita (ainda que não documentada)e daí vi tudo até hoje! Sempre igual a ti própia, sempre especial!
Eu prometo, vou passando por lá!

Beijinhos,

Eu

R. disse...

:) Sem palavras!!!

rosa disse...

olá...