sexta-feira, 18 de julho de 2008

Amigo


Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».
«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!
«Amigo» (recordam-se, vocês aí, Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!
«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.
«Amigo» é a solidão derrotada!
«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

Alexandre O’Neill, in No Reino da Dinamarca

6 comentários:

CLAP!CLAP!CLAP! disse...

um sorriso não custa nada!
:-)
Sinto a falta da Anabela e do rebuliço.

Passiflora Maré disse...

Compreendo-o.
Irei vê-lo.

Anabela Magalhães disse...

Mas a fada-madrinha está aqui!!!!!
E pelos vistos o rebuliço também!

Maria do Carmo Cruz disse...

Isto é que é uma flor de maracujá! O Clap é um mãos largas! Xi coração para o trio da vida airada... da Avó Pirueta

Passiflora Maré disse...

Obrigada Avó Pirueta, pela sua dedicação.
Xi coração.

CLAP!CLAP!CLAP! disse...

Avózinhaaaa??!! uns pés largos eu sabia ser..agora, mãos também??