terça-feira, 14 de abril de 2009

Entre a neve e o deserto




A minha amada é aprazível a meus olhos
como o trigo maduro ondeando em seara.
Fios de prata enfeitam-lhe os cabelos,
como a neve branca enfeita o distante cimo.

O tempo que passou marcou-lhe a pele,
como o arado ao campo fértil,
mas o seu corpo é deleitável
como as mais finas vestes,
e a sua voz é água cantante,
na fonte à sombra do jardim.

Por entre os vinhedos de Silves
persigo a corça fremente,
e suave é o abandono da presa
nas mãos do caçador.

Ela me deu crianças trigueiras
como a terra do Al-Gharb,
cujo riso enche de alegria
o coração de quem ouve!

Tão longe estão as cidades de Deus
e Ele tão perto do meu coração!

Muhammed El-Magrebi

4 comentários:

R. disse...

Que bonito :)

Anónimo disse...

Gostei.
Aquele abraço.
F

Anabela Magalhães disse...

Lindíssimo!

AugustoMaio disse...

Acompanho os comentários que me antecedem: muito bonito, sem dúvida. Uma grande escolha.