quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Toque

Conheço o teu toque
mas não sei o teu chão...
Fui caído das estrelas,
cortei a ternura a meio,
sustive a respiração...
Até à próxima paragem da vida,
sem toques, sem chão,
longe do sim, farto do não.

4 comentários:

Carmo disse...

O toque...
da campaínha para o recreio quando as aulas nos cansavam...
o toque de alguém de quem gostamos...
o toque cá dentro de campaínhas que nos façam sentir empatias com muitos dos que nos rodeiam...e com quem desenvolvemos cumplicidades..
o toque deste blog que começa a tornar-se uma preciosidade...quando a escrita me consegue tocar na solidão
É sempre muito oportuno tocar neste blog com o teclado ou o rato do meu computador
carmo

Anónimo disse...

Mãos! hoje com muito toque.

Mãos , coração e colo que esperam...
Que aproximam e acariciam as distâncias,
Mãos que esperam pelo dia de hoje para afagar o meu filho.
Mãos que retiram as lágrimas.
Que se erguem para ele.
Mãos que falam de coragem
Que falam de vontade
Que falam de amor
Mãos da mãe Rosa que esperam o seu Nuno .O botão do seu caule.

Hoje, estou mais Eu.
Hoje sinto as mãos de Mãe .

Tenho nome de Flor

César Paulo Salema disse...

Um bj à mãe R.
Uma enorme ternura para a Carmo...

Carmo disse...

Obrigada pela ternura. Em "Meu pé de Laranja Lima" Zezé um menino maravilhoso dizia "a vida sem ternura não é lá grande coisa".

Curioso este toque de almas que não se conhecem, mas podem dar coisas boas umas às outras. Aquilo que escreve tem sido um bálsamo...
Apenas lhe posso devolver com alguns comentários e pedir-lhe que continue a fazer coisas como estas, como este blog.
Carmo