sábado, 30 de agosto de 2008

Um homem iluminado

Pintura de Van Gogh, Campo de Bolbos.



Um homem parte
Madrugada fora
Rumo à Cidade.

Leva os pés em botas pesadas
E as costas numa trouxa em monge.

O caminho que atravessa a distância
Arrasta-se
Sombrio e penoso.

Súbito
Ilumina-se o homem
Pelo sol que se levanta
Nas franjas da madrugada.
E cada raio de sol que se acende
É uma cor que pinta a caminhada.

Animado pelas cores do sol levante
O homem não atravessa as colinas da paisagem.
O caminho faz-se uma pintura de Van Gogh
Em rectângulos de tulipas regulares.

Caminha agora
O homem
Por etapas de tulipas
De cores ordenadas.
E se a chuva vier
O homem há-de caminhar por cima de caminhos tulipas
E por dentro de cores arco-íris.

Assim ele se ilumine…

3 comentários:

Armando S. Sousa disse...

Tirando a parte do "homem iluminado", quero--te dizer que me revejo muito neste poema.
Um beijo e muito bom fim-de-semana.

Anónimo disse...

Muito bonito o poema.

Anabela Magalhães disse...

Sim, muito bonito, e com ilustração adequada.
Bj